cirurgias


Cross Link

 

Este tipo de cirurgia é utilizado no tratamento do ceratocone, na qual é associada uma substância chamada riboflavina (vitamina B2) à luz ultravioleta (365nm), com o objetivo de criar novas ligações entre as moléculas de colágeno da córnea, aumentando assim, sua resistência.

 

O paciente com ceratocone tem a córnea mais fina e menos rígida. Isso resulta em uma córnea mais abaulada, por isso as imagens ficam distorcidas e embaçadas.

 

O ceratocone é indolor, não inflama e não deixa o olho vermelho e em 90% dos casos acomete os dois olhos. É comum pacientes se queixarem da mudança do grau de seus óculos. A doença aparece geralmente na adolescência e evolui até, aproximadamente,  os 40 anos. A partir dessa idade, na maioria dos casos ocorre uma estabilização espontânea da alteração.

 

O cross-link é atualmente uma revolução no tratamento do ceratocone, mesmo o transplante de córnea não é tão seguro quanto este procedimento, e claro, óculos e lentes de contato não conseguem estabilizar a doença e tampouco curá-la.

 

No geral, o uso do Cross-link do colágeno induzido pela riboflavina-UVA, em casos de ceratocone, evitou a evolução da doença, pois a córnea fica mais dura após o procedimento.

 

Fonte: revista universovisual.com.br

 

 

28 3522-8111 / 28 99916-1175

Rua Dr. José Paes Barreto, 10 - Centro - Térreo
CEP 29300-045 - Cachoeiro de Itapemirim - ES

Cemes Olhos

 

© 2017 CEMES - Centro Médido Especializado. Todos os direitos reservados.